quarta-feira, 9 de abril de 2014

Moribunda...Vale a pena ler de novo?

Publicado em 31/03/2009 e no livro "tenho Dito" 2012.

APÓS NOVENTA DIAS, MORIBUNDA CONTINUA VIVA

 

era de se esperar. Passados noventa dias, a atual equipe responsável em salvar a moribunda do estado em que se encontra há mais de trinta anos não conseguiu, até o momento, visíveis melhorias. Os familiares mais chegados e confiantes já começam a se preocupar.
“O quadro apresentado é pior do que se pensava”, argumenta o chefe da equipe, após análise criteriosa do prontuário e do resultado obtido através de ressonância magnética. Foram constatados problemas principalmente de acefalia, somados ainda à prisão de ventre, infecção nos artérias, artrites, pressão alta, diabetes e um alto grau de hemorroidas, doença altamente hereditária. Não há sinal do fígado no exame e a polícia foi avisada, pois há indícios de tráfico de órgãos.
O coração ainda bate, mais ainda funciona devido à medicação contínua de “esperançadina” fornecida pelos familiares, de quatro em quatro anos.
A aparência da paciente não é das melhores, pois espanta todo o visitante mal avisado, coisa que não parece preocupar a maioria de seus familiares, que já se acostumou com aquela condição. Também é de lamentar o estado de locomoção. Infelizmente consegue apenas fazer suas necessidades fisiológicas e retorna para seus aposentos. Passos para frente somente serão possíveis com ajuda de pessoal especializado e após muita terapia e vontade compartilhada: paciente, corpo clínico e familiares.
Até a equipe nomeada para dar uma maquiagem e deixar a paciente em melhores condições ainda não conseguiu êxito. Uma hora falta pigmento, outra falta água... E o mais desanimador é que até os encarregados fazem corpo mole e dizem que não trabalham se não receberem horas extras.
Após este breve diagnóstico, os familiares já começaram a se reunir e vão dar mais um prazo para a atual equipe clínica tentar tirar a moribunda da UTI (Unidade de Tentativa Inútil) e fazer com que a paciente, lentamente, possa achar seu caminho de recuperação, voltar a andar e conviver com seus familiares.
Apesar do seu estado calamitoso, é bom ressaltar que a paciente ainda continua VIVA.
VIVA a paciente.

P.S. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.




sexta-feira, 4 de abril de 2014

FESTIVAL DE INVERNO DA UFPR

Propostas para ministrantes de oficinas - 24º Festival de Inverno da UFPR – que será realizado de 19 a 26 de julho – Antonina. Veja regulamento: http://www.proec.ufpr.br/festival2014/index.html


quarta-feira, 2 de abril de 2014

JOÃO TURIN

Hoje recebi a visita do escultor e amigo Elvo Benito Damo, responsável pela parte técnica da Casa João Turin/Curitiba. Elvo está tirando cópia de um dos relevos de autoria do escultor paranaense João Turin, acervo da Câmara Municipal de Antonina, cuja figura escultórica é nosso poeta maior Bento Cego, famoso cantador e repentista do início do século XIX, 1821.




terça-feira, 1 de abril de 2014

PRONUNCIAMENTO

O Prefeito Municipal de Antonina deverá fazer pronunciamento, ainda hoje, em rede de rádio e internet, pedindo desculpas por seus atos de arrogância e truculência e anunciar seu novo secretariado, cujas escolhas, teve como critério a qualificação em cada área. Boa Nota!*



* Gostou né...Mas é “Primeiro de Abril” Dia da Mentira.

sexta-feira, 28 de março de 2014

ESTRADA DA GRACIOSA

Estado de abandono do monumento
Após o deslizamento de uma encosta na histórica Estrada da Graciosa (bom lembrar que a Graciosa liga Antonina/Curitiba) que ficará interditada pelo menos por seis meses – de acordo com declarações do DER – para sua recuperação. Vem despertando interesse da comunidade usuária pela centenária estrada, que por muitas décadas foi à única alternativa rodoviária para se chegar às terras litorâneas.
Por aqui – início da estrada e hoje “final de linha” enquanto se espera sua restauração, seria interessante que o pessoal da prefeitura – por iniciativa da Secretaria de Cultura e Turismo – recupera-se o marco histórico da Estrada, o qual se encontra em total abandono e descaso (ver foto).
O marco foi construído na década de sessenta, quando o antigo Portão Comemorativo, foi demolido, permitindo então o tráfego de veículos maiores com destino ao porto capelista.

Um pouco de conhecimento da nossa história não faz mal a ninguém. Muito menos carinho com o nosso patrimônio. Tenho dito!
Antigo portão comemorativo a Estrada da Graciosa

quinta-feira, 27 de março de 2014

Mobilização Nacional

A hora da verdade.
Governo não atende pauta dos SPF e entidades devem intensificar mobilização

O governo federal deu uma demonstração clara nesta quarta-feira (19) de que não há disponibilidade em negociar com os servidores públicos federais (SPF). O recado foi transmitido na reunião entre representantes do Fórum das Entidades Nacionais do SPF e membros da Secretaria de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (Mpog), que aconteceu durante o ato realizado pelos servidores na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF). 

A atividade contou com a presença de centenas de manifestantes de diversas categorias do funcionalismo público e integra o Dia Nacional de Mobilização chamado pelo Fórum. Em diversas cidades do país, os docentes federais se uniram aos demais servidores e foram às ruas cobrar atendimento à pauta unificada da categoria, em defesa de serviços públicos de qualidade e valorização dos SPF. 

Segundo informe passado após a reunião com o Mpog, o Secretário de Relações do Trabalho (SRT/Mpog) Sérgio Mendonça recebeu os dirigentes, acompanhado de sua equipe, e foi explícito ao informar que o governo entende que há um acordo vigente, firmado em 2012 com várias categorias do funcionalismo, e que não irá negociar, nem a pauta específica das categorias nem a unificada dos SPF, e que não há margem orçamentária para revisão do acordado. 

De acordo com Paulo Barela, representante da CSP-Conlutas na mesa, o secretário da SRT/Mpog disse apenas que seria possível refletir sobre a possibilidade de reajuste nos benefícios sociais. “Reivindicamos um calendário de reuniões para manter a porta aberta e Mendonça respondeu que não há necessidade, pois isso não irá reverter a posição do governo”, comentou Barela.

O coordenador da CSP-Conlutas informou que as entidades cobraram do governo uma resposta escrita e oficial à pauta protocolada em janeiro, o que foi prometido para o final de março, e informaram que as entidades devem intensificar as mobilizações. “Já existe uma greve em curso e várias entidades já têm uma agenda de ações. Vamos intensificar a mobilização para pressionar o governo a mudar essa postura intransigente, como fizemos em 2012”, finalizou.