quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

TERÇA-FEIRA DE CINZAS... Ecos do carnaval.


Noite de terça-feira de carnaval 2016
Terça-feira de cinzas.

Nunca na historia da nossa cidade, vivemos uma terça-feira de carnaval tão melancólica, até parece quarta-feira de cinzas de localidades onde não existe carnaval.
O prenuncio do desgaste da nossa maior festa cultural e turística, já tinha sido colocado, quando a própria comemoração de aniversário da cidade – 6 de novembro – foi cancelada e transferida, tudo em nome da falta de recursos.
O aparecimento de um surto epidemiológico na região serviu de trunfo para a administração municipal, diga-se João Domero, usar a desculpa para cancelar o carnaval. Pois a causa maior seria o caixa da prefeitura estar zerado para bancar as custas necessárias, muitas vezes superfaturadas em carnavais anteriores, em torno de R$500mil.
Sem planejamento e com orçamento diminuto devido à redução dos repasses do Governo Federal – para todos os municípios brasileiros – e sem credibilidade alguma em sua base parlamentar e governamental, a “Turma do João” não tinha outra saída, a não ser cancelar o carnaval. A árdua e desastrosa tarefa foi passada ao prefeito interino Wilson Clio de Almeida Filho, que usou a caneta pela primeira vez, num ato histórico “Suspendeu as atividades públicas do Carnaval no Município de Antonina”, conforme Decreto 09/2016.
Carnavalescos, comerciantes e comunidade protestaram e em menos de 24 horas, o famigerado e maluco decreto foi REVOGADO.

E daí?
Recursos dizem que não existem, mas cargos comissionados continuam sendo preenchidos pelos “Amigos do João” – como sempre sem nenhum mérito técnico. Com a já desvalida equipe, montaram uma reduzida e gracejada programação para a festa de momo.
Sem trio-elétrico – objeto de desejo do prefeito, sem iluminação cênica – necessária para o desfile das Escolas de Samba, sem palco, sem banda...Sem divulgação e “sem eira nem beira...” Tentaram condicionar o mínimo possível para a realização do evento. E a terça-feira ficou vazia...Sumiu do carnaval.

Das Escolas, Blocos e animação.
Apesar das inúmeras dificuldades, prevaleceu o espírito carnavalesco do nosso povo, e três Escolas de Samba abrilhantaram a avenida durante a noite de domingo. Batel, Capela e Brinca apresentaram o que de melhor lhes fora permitido: beleza, criatividade e alegria contagiante. No sábado os Blocos Folclóricos e Carnavalescos deram um show de animação e fizeram a platéia vibrar e participar da festa.
A segunda-feira, como sempre, a avenida foi tomada pelos foliões, onde mais uma vez foi realizado o Concurso das Escandalosas. Foram realizados bailes públicos, com música eletrônica – de qualidade e gosto meio fora do contesto.

Entre pontos fortes e fracos, ficamos com os fortes. Onde mais uma vez nosso cidadão carnavalesco, soube de maneira ordeira “botar o bloco na rua” e fazer deste evento seu momento de alegria, descontração e catarse.
O ponto fraco ficou por conta da prefeitura, que decididamente não teve a mínima capacidade de dar continuidade a esta, então grandiosa, festa da cidade.
Xô...Acabou!

As imagens falam por sí:
Terça-feira de carnaval 2005
Terça-feira de carnaval 2010
Terça-feira de carnaval 2015

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Ranking do turismo no Paraná

Litoral do Paraná tem 3 cidades bem classificadas no ranking do turismo

Guaratuba, Matinhos e Paranaguá foram classificadas na categoria B do ranking dos destinos turísticos do Brasil. Pontal do Paraná e Morretes estão no nível C; Antonina e Guaraqueçaba, no D.
Na categoria A, foram classificadas apenas duas cidades do Paraná: Curitiba e Foz do Iguaçu. No nível das melhores cidades do Litoral (B), apenas outras seis cidades paranaenses: Londrina, Maringá, Ponta Grossa, Araucária, Cascavel e Guarapuava.
Os resultados do Litoral do Paraná só não foram melhores devido ao pequeno porte dos municípios. Na classificação é levado em conta o número de estabelecimentos, empregos e fluxo de turistas.
A categoria A, que representa os municípios com maior fluxo turístico e maior número de empregos e estabelecimentos no setor de hospedagem, tem 51 cidades, incluindo as 27 capitais, e representa apenas 1,5% dos municípios brasileiros.
O Paraná teve 261 cidades classificadas: 2 na categoria A, nove na B, 32 na C e 218 na D e E.

O Ministério do Turismo (MTur) adotou uma nova metodologia para categorizar os municípios brasileiros. A partir de quatro variáveis de desempenho econômico: número de empregos, de estabelecimentos formais no setor de hospedagem, estimativas de fluxo de turistas domésticos e internacionais, os 3.345 municípios do Mapa do Turismo Brasileiro foram agrupados em cinco categorias, de A até E. 



quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Enfim uma placa.

Armazém dos Macedos
Enfim uma placa.

Nossa cidade foi contemplada com o Tombamento Nacional, em meados de 2012.
De lá pra cá, o que nós simples mortais sabemos, é que o pessoal da política e do Iphan-Pr, estiveram na Câmara Municipal, logo após o Tombamento e anunciaram que Antonina seria contemplada com R$30 milhões no PAC das Cidades Históricas, para recuperar o seu (nosso) patrimônio arquitetônico.
Um ano após, os tais 30milhões foram reduzidos para R$17milhões. Uma comissão de “expertes” mais nossas “otoridades” constituintes, selecionaram os imóveis que deveriam ser restaurados. Foram oitos. Priorizando o Santuário de Nossa Senhora do Pilar, que deveria ser entregue ano passado, em comemoração aos seus 300 anos.
Até o momento, o pouco ou quase nada que sabemos, é que todos os projetos foram licitados através do Iphan-Pr e elaborados pelas empresas contempladas. Mas agora precisam ser licitadas as obras e necessitam de disponibilidade financeira.
Neste final de semana foram colocadas placas indicativas enfrente aos referidos imóveis. Acho importante este tipo de informação, acredito que tais informações deveriam ser sinalizadas após sua recuperação. Mas?!?!?!

A atual crise política e econômica criada pelo Governo Federal poderá mais uma vez corroborar para a já triste e costumeira mania de descaso e abandono político que nossa cidade é tratada. Acredito que o dinheiro do PAC das Cidades Históricas deva ter sumido, e tudo de novo ficará nas gavetas da burocracia. Capaz que sejamos contemplados ao menos com uma “miserável” restauração. Mas queremos todas as oito...Nem que seja pros nossos netos inaugurarem.

Nesses meus mais de quarenta anos de labuta na cultura e no magistério, tive acesso aos mais variados projetos de recuperação da nossa cidade. Lembro muito bem no inicio dos anos noventa, o governo Lerner propôs a revitalização do nosso setor histórico. Inicialmente seriam restaurados quarenta imóveis, que momento depois se transformaram em quatro. E nada foi feito.

Agora, com um projeto bem mais consistente, pois se trata de uma cidade Patrimônio Nacional, se espera que não fique só nas placas.
E tenho dito.




Os oito locais previstos para recuperação.



quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

ANTES QUE ACABEM COM O NOSSO CARNAVAL...



Adquira o álbum fotográfico “Carnaval de Antonina – 35 anos de cumplicidade”.
200 fotografias do nosso carnaval, do período de 1975 a 2010. Todas de autoria de Eduardo Nascimento/Bó. Capa duas, edição de luxo. Prefaciada por Cristóvão Tezza/escritor e Sergio Kidziej/crítico de arte. Disponíveis apenas 10 livros para venda, do acervo do autor.
Adquira já...Pura memória da nossa maior expressão cultural: o carnaval.



“...E a leitura que Eduardo faz dos carnavais da cidade é duplamente fiel – ao artista que, pelo recorte da fotografia, tira a máscara da aparência imediata para nos revelar também um modo de ver a festa popular, o detalhe fugaz que compartilhamos com o leitor pela indução do nosso olhar; e também fiel ao próprio carnaval de Antonina, que desponta nas fotos com sua desconcertante simplicidade, transgressão, carência e uma ingênua poesia, como puras expressões do desejo, à solta na rua. No conjunto, revela-se um Brasil secreto e frágil que se expõe indefeso, pelo prazer da festa.”
Cristovão Tezza
Escritor

Carnaval 2010
Beco do Mijo 2006
Brinca 2009

Solicite por e-mail, telefone, inbox ou pessoalmente. Apenas R$120,00. E-Mail: eduardobo1951@gmail.com



terça-feira, 19 de janeiro de 2016

ANTONINA TEM CARNAVAL!

imagem apenas ilustrativa
ANTONINA TEM CARNAVAL!

Na audiência pública realizada hoje às 19h na Câmara Municipal de Antonina, foi apresentado um relato sobre a situação da Dengue em nossa cidade, onde contou com a presença de autoridades competentes da área epidemiológica e da saúde, do Ministério Público, da comunidade e do Prefeito em exercício. Ficou claro que não existe surto da doença no município. Os dois casos registrados não são de origem local, portanto não há epidemia.

Emenda pior que o soneto
O prefeito em exercício Wilson Clio de Almeida Filho, sem nenhuma consistência técnica e sem nenhum respaldo popular, tomou para si a responsabilidade de Decretar a Suspensão das atividades públicas do Carnaval, e assim o fez. Usou a caneta para se perpetuar na história, ao decretar a falência da nossa maior festa popular e do nosso mais importante evento turístico.
Pressões e descontentamentos partiram de todos os lados, principalmente dos proprietários de hotéis e pousadas e do comércio em geral, que fazem da festa, seu ponto alto da temporada.
Redes sociais “bombaram” junto com os meios de comunicação tradicionais, jornais da região, rádios e televisão anunciavam – com pesar – o cancelamento da festa de momo de Antonina, considerada a mais importante do Paraná.
A comunidade carnavalesca se fez presente na audiência pública, lotando a plenária da Câmara e o prefeito sentindo-se acuado, voltou atrás e REVOGOU o tão desastroso e irresponsável Decreto 09/2016. Antonina vai ter Carnaval de Rua. E ponto final!

Falência administrativa
O prefeito em exercício deveria muito bem decretar a falência administrativa, política e financeira da atual gestão, e de uma vez por todas assumir o rombo nos cofres públicos e Decretar o não cumprimento das metas públicas para o Carnaval. Bem, isso seria pertinente. Mas utilizar o aedes aegypti para decretar a suspensão do Carnaval, é dar um tiro em seu próprio pé, é desrespeitar as pessoas e nossa pobre mais ainda existente memória histórica e cultural.
Caso a administração ainda tivesse alguma credibilidade junto à comunidade (segundo enquete está com mais de 80% de rejeição) poderia solicitar parceria para a realização do evento. Sem muita pompa, sem superfaturamento, com seriedade e honestidade, poderíamos juntar forças políticas e achar caminhos alternativos para anunciada crise. O problema é que o Governo do João Domero faliu, e não quer reconhecer. Sem capacidade de gestão, sem mentes pensantes, em recursos financeiros, sem credito e sem representação política...Fazer o quê?

E agora prefeito?
Voltar atrás muitas vezes é sinal de nobreza, mas desta vez ficou comprovada a total incompetência da atual gestão. O decreto além de desastroso atingia até a liberdade das pessoas de sair em bloco pelas ruas da cidade, ferindo nosso constitucional direito de expressão. E agora como fazer a parte da prefeitura?
Primeiro deveriam tentar recuperar nossa imagem – não é fácil depois da boataria – e decretar que estamos BEM OBRIGADOS, e que nosso surto é de muita Alegria, Carnaval e Hospitalidade.
Em seguida em mutirão, iniciar uma campanha relâmpago eliminando prováveis focos do mosquito. Que ele está por aqui...Está! Não podemos ignora-lo.
E finalmente tratar o Carnaval como uma festa da comunidade, onde ela através do poder público poderá solucionar os problemas básicos, principalmente. Mas para isso, é preciso diálogo aberto com pessoas e idéias, que possam contribuir e que não permitam que também morra o nosso Carnaval.
Vamos aguardar o “andar da carruagem” pois faltam apenas 15 dias pra grande festa.
E tenho dito! Mas que vai ter carnaval...vai!

leia mais:http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/apos-pressao-popular-prefeito-de-antonina-volta-atras-e-confirma-carnaval-525skampvxpsczyqbi5v378c0


CARNAVAL SÓ EM CASA...PQ NEM CLUBE EXISTE MAIS.

DECRETO 09/2016

Artigo 1° - FICA DETERMINADA A SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES PÚBLICAS DO CARNAVAL NO MUNICÍPIO DE ANTONINA.

Gabinete do Prefeito em 14 de Janeiro de 2016
WILSON CLIO DE ALMEIDA FILHO

Prefeito Municipal em Exercício

Veja, leia e tire suas conclusões. Era só o que faltava:




RESULTADO DA ENQUETE

COMO VOCÊ AVALIA OS TRÊS ANOS DA GESTÃO JOÃO DOMERO?

ÓTIMO E BOM 7%
MAIS OU MENOS 2%
RUIM E PÉSSIMO 88%
NDA 3%

TOTAL VOTANTES: 135
VOTAÇÃO ENCERRADA EM 16/01/2016*

Veja no gráfico a evolução da opinião dos eleitores.

* A enquete foi encerrada antes do anuncio do cancelamento do Carnaval por parte da prefeitura.


quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

TURISMO AQUI NÃO! Para não ter que escrever de novo...

Publicado em 13/11/2006 no blog e no livro
 “Tenho Dito” em 2012
TURISMO AQUI NÃO! 

Esta deve ser a frase que alimenta o dia a dia do prefeito da nossa cidade. Quando ele acorda, deve olhar no espelho com aquele ar de arrogância e volta a repetir: “TURISMO AQUI NÃO!”. Parece que ele esqueceu a sua proposta de palanque e o próprio Plano Diretor que estabeleceram no turismo uma das prioridades para a imediata geração de renda e emprego para o município. Mas o que a gente vê é um total descaso com a cidade, com os pequenos empresários do ramo e principalmente o estado de abandono dos poucos equipamentos ainda existentes.
O Trapiche Municipal, que no último ano ficou inteiramente abandonado, sem vigia e manutenção, desde o mês de agosto foi interditado, devido à laje pré-moldada que deu sinal de rompimento. Já somam mais de 110 dias de interdição. Para dificultar ainda mais, a própria Prefeitura mandou demolir a Estação de Embarque do local e retirou toda a fiação elétrica, refeita há nada mais de quatro anos. Não dá para entender o porquê dessa atitude.
O pessoal da Secretaria Municipal de Obras orçou a reforma da laje em R$ 80.000,00 (oitenta mil reais) e o pessoal do COMTUR esteve com o engenheiro Gerson Barão, prestador de serviços para o DECON, e passou um custo aproximadamente de R$ 37.000,00 (trinta e sete mil reais). Fomos até a SETUR e solicitamos ajuda do secretário do Turismo, senhor Celso Caron, e do deputado Nelson Justus para interceder na liberação dos recursos.
O que nos surpreendeu foi a ação de desmonte da prefeitura após a intervenção do COMTUR.
A Eco Paraná, instituição ligada à SETUR/PR, está tentando solucionar o problema, mas também está encontrando um monte de empecilhos de custos e burocráticos para termos o local liberado até o início do verão. Agora nos foi apresentado pelo Sec. de Obras do Estado um orçamento em torno de R$ 350.000,00, causando um total espanto aos envolvidos com a problemática. Até parece que querem deixar novamente a gente no abandono e a desculpa passa por uma supervalorização da obra.
A ação do COMTUR – Conselho Municipal de Antonina – foi somente a de ajudar a atual administração na liberação dos recursos, já que a mesma, através da Secretaria Municipal de Turismo, comunicou indisponibilidade financeira para a realização da obra.
Os membros do COMTUR são pequenos empresários do ramo que têm o maior interesse no funcionamento do trapiche, pois é através dele que transita boa parte dos turistas que nos visitam, e estão sempre dispostos a contribuir com a administração pública quando o interesse maior for o desenvolvimento do turismo local.
Mas não é somente o abandono do trapiche que prejudica o nosso turismo.

TURISMO AQUI NÃO! II
As nossas praças e logradouros são mal e parcamente cuidados. Os bancos estão quebrados, luminárias apagadas, pintura desgastada e o pior é o abandono de gerenciamento. Na Prefeitura ninguém sabe qual é a Secretaria responsável pelos logradouros. Nem de dia e muito menos durante a noite sequer tem um guardião para preservar o que ainda resta.
O COMTUR está fazendo uma campanha junto aos pequenos empresários da cidade para a adoção de um canteiro e, com muito sacrifício, mais de uma dúzia de empresas já doaram recursos para plantar algumas flores na Praça Cel. Macedo. Até agora foram plantadas mais de 2.500 mudas de flores perenes e exauríveis. Somente buganvílias foram plantadas mais de 35 mudas já em floração. A Prefeitura, que ficou de ajudar doando um pouco de terra, pedra seixo rolado e colocar um funcionário para colaborar na plantação dos canteiros, até o momento não colaborou em NADA, ou seja, para não cometer injustiça, a Secretaria de Obras nos mandou alguns metros cúbicos de pedra e só.
Mas continuamos o trabalho e já deu para a população notar – durante o aniversário da cidade – a beleza das flores que enfeitavam os mais de doze canteiros doados pela comunidade.

TURISMO AQUI NÃO! III
Parece que o espírito da administração está contaminando algumas pessoas e o vandalismo tomou conta da Praça Cel. Macedo no último domingo. Um canteiro com mais de 130 mudas de sálvia, que foram plantadas no monumento ao velho Getúlio e já estavam abrindo florada, nesta madrugada de domingo foi totalmente pisoteado e arrancado, num ato de ódio e total desequilíbrio com a natureza e desrespeito com a própria cidade. O vandalismo poderia ser evitado se ao menos no logradouro tivesse a presença de um vigia. Obrigação da administração municipal, pois é ela a responsável pela guarda, manutenção e preservação do patrimônio público.

TURISMO AQUI NÃO! IV
Também a nossa “maravilhosa” estação ferroviária está passando por dias de abandono.
O vereador Jéferson Fonseca propôs lei – e foi aprovada pelo executivo – obrigando os estabelecimentos públicos, tais como o Theatro Municipal e a Estação Ferroviária, a abrirem durante os finais de semanas para visitação ao público. A lei veio ao encontro das nossas reivindicações, mas não está sendo cumprida pela Prefeitura. O Theatro comemorou os seus 100 anos com cara de sujeira e continua fechado nos finais de semana e a Estação somente ainda está sendo aberta pelos estagiários da Paraná Turismo, que permanecem no local para simplesmente prestar informações turísticas. Nada acontece por lá e o estado de abandono é deprimente. O Secretário de Turismo ainda não nos disse para que veio e o que de verdadeiro está fazendo. Parece que também entrou no jogo do “Turismo aqui Não!”.


N.E do Blog: Pouca coisa mudou em dez anos. Continua o mesmo descaso e a cidade e o turismo não sendo tratados a sério. Somente o prefeito junto com o mato cresceram. Com isso o abandono e a falta de respeito para com a cidade e seus cidadãos. Até quando?

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

DENGUE - PREVENIR ENQUANTO É TEMPO. Faça sua parte.





A dengue está pertinho de nós. Fez uma vítima em Paranaguá e centenas de pessoas estão contaminadas. Vamos prevenir. Limpar os locais com água parada e avisar a Vigilância Sanitária local em caso de encontrar locais públicos ou privados que possam estar contaminados. Prevenir é o melhor remédio!  Palavradobo.