sexta-feira, 29 de abril de 2016

MP MANDA DEMITIR COMISSIONADOS

O Ministério Público da Comarca de Antonina, na pessoa do Promotor de Justiça Thiago Saldanha Macorati, instaurou Inquérito Civil sob o n° MPPR – 0006.16.000099-5, contra a administração pública municipal, na pessoa do senhor prefeito João Ubirajara Lopes, encaminhando a Recomendação Administrativa 06/2016.

Após inúmeras Considerações (ver doc. anexo), o MP Recomenda que o prefeito Municipal de Antonina, “promova IMEDIATAMENTE, a exoneração de todos os ocupantes de cargos em comissão existentes no Poder Executivo, abstendo-se, por outro lado, de provê-los, por via de nomeação ou contratação, até que sobrevenha lei formal de criação contemplando quantidade, lotação e, sobretudo, atribuições que, concretamente, qualifiquem-nos como direção, chefia ou assessoramento”.

O não cumprimento desta recomendação levará ao ajuizamento das ações cabíveis, caracterizando evidente má-fé da autoridade pública.

Se as deficiências dos serviços públicos municipais já estavam no limite, agora então somente nos resta indignação, pois o prefeito ira utilizar assertiva recomendação, para justificar as suas já insuficientes ações. Esta é a “Antonina de Verdade” que nos prometeram.

Viu...e a gente avisou...mas..."Quem não tem cabeça, usa óculos escuros".
Aguardem novas surpresas a partir de 03 de maio.

Fonte: Câmara Municipal de Antonina/ Face do Vereador Givanildo.










segunda-feira, 25 de abril de 2016

JOÃO PESSOA - PB


João Pessoa, a capital da Paraíba não é somente praia – maravilhosas por sinal –
ainda preserva seu Centro Histórico, tombado pelo IPHAN e possuí relíquias
como a Igreja de São Francisco, um dos mais importantes complexos históricos
do Brasil, os casarios em art-noveau da Praça Antenor Navaro, dentre outras
construções espalhadas pela região. Mas é o seu povo, que circula e
dá vida ao centenário cenário, com sua riqueza de
costumes e atividades.

Veja as fotos: 


quarta-feira, 20 de abril de 2016

Na revista HAUS...

Painel do HC é matéria da Revista Haus da Gazeta do Povo do mês 
de Março último (Ano II N°13. A página Vida Urbana, do arquiteto e articulista Key Imaguire Junior utiliza um painel mural de minha autoria, elaborado em uma empena cega do Hospital de Clínicas de Curitiba no ano de 1977, para conceituar a importância de um mural na vida urbana das cidades.


“Essas obras abertas não só podem como devem transcender o 
aspecto ornamental e chegar ao monumental: quando bem resolvidas, têm sua representatividade potencializada”.

Hoje o referido painel está ofuscado pelo tempo e pela construção de um imóvel anexo. Mas durante algumas décadas serviu de referencia visual, até para sinalizar e indicar a localização do referido prédio, pois sua visibilidade era possível por centenas de metros.


quinta-feira, 7 de abril de 2016

quarta-feira, 6 de abril de 2016

JOÃO DOMERO...CONTAS NÃO APROVADAS

foto de arquivo
Prefeito de Antonina é multado pela desaprovação das contas de 2013 
O Tribunal de Contas do Estado (TCE) multou o prefeito de Antonina, no Litoral do Estado, por conta da desaprovação de contas de 2013, o primeiro ano do mandato do prefeito João Ubirajara Lopes. Conforme o TCE, o Município de Antonina registrou déficit financeiro de R$ 830 mil, correspondente a 4,95% da receita corrente líquida daquele ano. Ainda em 2013, a administração municipal estava irregular com suas obrigações perante o Regime Geral de Previdência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), relativos aos valores descontados em folha de pagamento dos servidores. As irregularidades levaram à desaprovação das contas daquele exercício pelo TCE e em função disso, o gestor foi multado em R$ 2.176,46.
Em sua defesa, o prefeito anexou o demonstrativo de repasse do Fundo de Previdência de Antonina e a certidão negativa de débitos com o INSS, para comprovar a quitação perante os débitos anteriores à emissão da certidão. Mas, a Diretoria de Contas Municipais demostrou que permanecem inconsistentes os valores das contribuições efetuadas em relação àqueles apresentados no Sistema de Informações Municipais-Acompanhamento Mensal (SIM-AM), impossibilitando verificar os repasses corretos ao INSS.
O prefeito também justificou que o déficit de 9% da receita corrente líquida acumulada na gestão de 2012 por seu antecessor, dificultou o cumprimento do artigo 1º da LRF, que visa o equilíbrio entre receitas e despesas. Apesar disso, o relator do processo, conselheiro Fernando Guimarães, observou que o município teve exercícios deficitários desde 2010, e que, em razão do princípio da impessoalidade, não é possível o prefeito alegar que, por ser em administrações diferentes, a irregularidade deve ser ressalvada.
Após o trânsito em julgado do processo, o parecer prévio do TCE será encaminhado à Câmara de Antonina. A legislação determina que cabe aos vereadores o julgamento das contas do chefe do Executivo municipal. Para desconsiderar a decisão do Tribunal expressa no parecer prévio são necessários dois terços dos votos dos vereadores.
Colaboração Assessoria TCE
Fonte: Rede Massa -Viviane Nonato | Antonina | Publicado em 04 de abril de 2016 | 11h52

II ANTONINA BLUES FESTIVAL

PROGRAMAÇÃO
www.facebook.com/events/214651255571936/

quinta-feira, 31 de março de 2016

Porto de Antonina receberá R$114,18 milhões

Porto de Antonina receberá R$114,18 milhões em investimentos e novo berço de atracação

O Porto de Antonina aumentará em 850 mil toneladas a sua movimentação anual, que passará para 2,3 milhões de toneladas, um salto de 56,6%. Nesta quarta-feira (23), o ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República, Hélder Barbalho, assinou a autorização para novos investimentos no Porto no valor de R$ 114,18 milhões.

"Antonina, gradualmente, retoma sua vocação portuária e amplia sua participação na Administração dos Portos do Paraná", disse o governador Beto Richa. "Isso é muito importante neste momento em que o País, mais que nunca, precisa ampliar suas exportações e consolidar um consistente saldo em sua balança comercial. Sem falar dos reflexos positivos que o investimento trará para toda a região".


Com a autorização, o Terminal Ponta do Félix, que possui contrato de arrendamento para movimentação de cargas congeladas e granéis em Antonina, vai ampliar o cais do terminal portuário em 170 metros.


O projeto de desenvolvimento da estrutura portuária também prevê a construção de linha de atracação onde irá operar o terceiro berço do porto, a construção de ramal ferroviário interligando o Terminal Ponta do Felix ao Terminal Público Barão de Teffé e, ainda, a construção de um armazém graneleiro – especial para fertilizantes – com capacidade estática para 120 mil toneladas. O armazém será instalado em uma área de 18 mil metros quadrados.
“A ampliação do Terminal fortalece o Porto de Antonina, gerando emprego, renda e desenvolvimento econômico para a região”, afirma o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino.


A solicitação de investimentos foi feita pelo Terminal em 2011 e passou pela aprovação da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina e da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).


De acordo com o diretor-presidente do Terminal Ponta do Félix, Valdécio Bombonatto, os investimentos previstos tornarão o Porto de Antonina mais competitivo e estável. “Serão 4 milhões de toneladas a mais movimentadas gradativamente nos próximos quatro anos. Estes investimentos vão possibilitar diversificar a movimentação de cargas e, também, trazem perspectiva de desenvolvimento para a cidade e região”, disse Valdécio.


Os novos investimentos, conforme prevê a Nova Lei dos Portos (No 12.815/2013), permitem a renovação antecipada do contrato de arrendamento do Terminal Ponta do Felix.


POTENCIAL 
Nos últimos cinco anos, o Porto de Antonina retomou sua movimentação de mercadorias, gerando mais empregos na cidade e mais desenvolvimento para a região. O volume de cargas movimentadas no Terminal Ponta do Felix passou de 131 mil toneladas/ano, em 2010, para 1,5 milhão de toneladas/ano em 2015.

Entre as melhorias realizadas em Antonina nos últimos anos estão a construção do novo prédio administrativo, novas guaritas de controle, a revitalização e ampliação do cais de Barão de Teffé, a regularização fundiária da área portuária, a criação de um pátio de triagem de caminhões, instalação de armazéns infláveis, instalação de balança rodoviária e a criação de área de expurgo.

INFRAESTRUTURA 
O Terminal Ponta do Félix possui uma área de 263,8 mil metros quadrados e dois berços de atracação em 360 metros de cais.
Entre as vantagens do Porto de Antonina estão a possibilidade de operações portuárias customizadas, Porto alternativo a Paranaguá, atracação de navios de cabotagem, operação com barcaças, serviços de suprimentos marítimos, instalação de estaleiros navais, instalação de indústria metal mecânica e suporte operacional – logística e armazenagem.




N.Edt. do Blog: ACREDITE SE QUISER!

segunda-feira, 28 de março de 2016

Livros do Bó

160 páginas
Você que gosta da política antoninense não pode deixar de ler os livros do Bó: Crônicas da Capela e Tenho Dito. Dois exemplares que registram pontos de vista do autor, durante o período de 2002 a 2011. Você não precisa concordar com as posições, mas não pode ignorar. Últimos exemplares...faça já o seu pedido.

Tenho Dito é uma coletânea de textos publicados no período de 2006 a 2011 no blog . O autor tenta promover um olhar crítico sobre a política e os políticos de sua Antonina, com o simples objetivo de questionar os casos de abandono e salientar sua importância histórica e cultural.
São mais de cem ensaios, entre crônicas, comentários, notas, causos e acasos dos mais diversos ingredientes do cotidiano de uma pequena cidade. Onde insiste em afirmar que não pretende convencer nem ao menos vencer ninguém... Somente quer se manifestar.
Experimente.

“Seu Blog é uma luz que nos leva a importantes reflexões. O exercício de ler e pensar que nos proporciona poderá nos fazer ver quais os caminhos a percorrer, para participarmos – efetivamente – da necessária mudança de mentalidade. Se isso não acontecer, continuaremos a viver – pessimamente – entre farsas. Sem visão de mundo, continuaremos em buracos sem saídas.”
Yara Sarmento

Os livros Crônicas da Capela e Tenho Dito poderão ser adquiridos via sedex, por apenas R$35,00 (incluso despesas de correio). Solicite via e-mail: eduardobo1951@gmail.com


173 paginas

PENSAR GRANDE E FAZER PEQUENO E BEM FEITO....Pra não ter que escrever de novo.

imagem de arquivo

Publicado em 10/06/2009

PENSAR GRANDE E FAZER PEQUENO

 

Uma das angústias que carrego – apesar de não depender financeiramente da cidade em que vivo – é a maneira como Antonina foi tratada por nossos governantes nas últimas décadas. Não estou sozinho nesta caminhada. Sei e sinto que muitas pessoas gostariam de ver nossa cidade ser tratada com mais respeito e que sua população, principalmente a mais jovem, tivesse alguma expectativa de crescimento.
Com a mudança de comando municipal, sempre aflora um novo ar de esperança para a cidade.
Mas o que é que Antonina precisa? É o principal questionamento quando um planejador pretende indicar caminhos. Será que precisamos de muito ou temos tudo e não sabemos tratá-lo?
Em várias ocasiões, participei de grupos de trabalho na tentativa de pensar a cidade, mas pouco ou quase nada foi colocado em prática, porque “infelizmente” dependemos demais das decisões do poder público, em todos os escalões.
Hoje, temos um estudo elaborado tecnicamente que nos dá caminhos possíveis para que possamos reencontrar o desenvolvimento, é o Plano Diretor. Ele indica com segurança várias probabilidades, desde pequenas ações de separação do lixo até grandes obras, como aterros e programas de desenvolvimento sustentável. Está tudo lá.
Mas para que algo comece acontecer se faz necessário dispor de um certo ingrediente, fundamental para quem vive em sociedade: vontade. Primeiro, a mudança deveria partir da própria população, mas, pela “pequena” vivência que por aqui construí, não creio que isso aconteça. Há uma paralisia sinestésica inacreditável e quase incurável em médio prazo. Posteriormente, a política, ou seja, o chamamento desta sociedade, culturalmente paternalista para discutir, planejar e construir juntos. Eu disse juntos!
Mas será que não poderíamos pensar grande e começar fazendo tudo que é pequeno? Fácil de viabilizar, com nossos próprios recursos, com a participação da sociedade e principalmente de algo que poderíamos melhor aproveitar: a nossa criatividade.
Criatividade não é virtude dos artistas, é virtude de todos que conseguem pensar grande e realizar pequenas coisas novas e bem feitas. Todos podemos e devemos ser criativos, basta trabalhar muito.
Certo dia perguntei para um grande mestre como ele se inspirava para conseguir aquela obra. Ele me respondeu com sabedoria: “Noventa por cento de transpiração e dez de inspiração”. Eis aí um receituário que devemos pôr em prática.
Com vontade e trabalho, poderemos reencontrar o desenvolvimento que desejamos. Mas alguém precisa começar. E é pelas pequenas coisas que se constrói uma bela cidade e um bom governo.

N.Edt.do Blog: Pensar Grande foi um dos slogan de campanha do atual prefeito. Pena que ele associou somente a sua estatura.


FAZER ALGUMA COISA...
Publicado em 26/07/2009
Quase que perfeita, por aqui é meio impossível. A falta de mão de obra qualificada dos “profissionais” disponíveis no mercado local quase sempre gera insatisfação pelo contratante. Em quase todas as áreas. Quem contrata alguém aqui em Antonina sabe muito bem do que estou falando. O pedreiro, o encanador, o eletricista... ou sei lá quem, quase sempre deixa o serviço inacabado e você tem que contratar outra pessoa ou terminá-lo.
Nosso município carece de mão de obra qualificada e tudo fica no espaço do quebra-galho e do amadorismo, no pior sentido, o pejorativo. Já estive à frente de uma Associação de pequenos empresários e tentei – junto com a diretoria – começar a mudar a configuração. Mas a resistência é muito grande e parece que todos se sentem satisfeitos com os seus “desconhecimentos”. Trouxe, em parceria com o Senac-PR, cursos para melhorar a qualificação profissional em várias áreas e raramente tivemos as vagas preenchidas. Dois cursos foram cancelados por não terem preenchido o número mínimo (10 vagas). Claro, para se profissionalizar tem que ter investimento.
Se o olhar for focado no serviço público, a coisa piora dez vezes. Qualquer tarefa de responsabilidade da prefeitura – por exemplo – jamais será terminada com perfeição. Começam a fazer uma calçada e não terminam. Sequer recolhem o material que sobrou.
Recentemente até fiquei contente que começaram a mexer na Praça Cel. Macedo (dois meses) para refazer os canteiros dos jardins. Só que faz um mês e tudo continua como antes... Em estado de abandono. O pessoal já está “tocando” outro serviço.
Se você for falar com os responsáveis... Claro que terão desculpas... Sempre. Mas, o que fica é a cultura do deixa pra lá... E a gente vai tocando como pode!
Como se reconstrói uma cidade sem responsabilidade? Como se produz sem a mínima qualidade?
São perguntas que sempre pairam em poucos “pensantes” e preocupados com os desígnios da cidade.
Se somos famosos em alguma coisa é porque essa coisa foi feita com responsabilidade profissional e qualidade. Se nossos empresários – todos, mas principalmente na área do turismo – e a administração pública quiserem conquistar algum lugar de destaque, terão, sem dúvida alguma, que mudar os seus comportamentos e começar a investir em capacitação profissional. Nós consumidores e contribuintes temos o direito de usufruir e até “degustar” serviços e produtos de qualidade. Capacitar nossa mão de obra é puro investimento. Todos ganham.