quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Placas pra que te quero?

A sinalização de transito na cidade é altamente insuficiente. Pouquíssimas placas de sinalização, quando existentes, estão em péssimas condições de legibilidade.
De sinalização turística então nem se fala. O turista que aqui chega, encontrará algumas placas aéreas e indicativas de monumentos, que foram implantadas há oito anos atrás, projeto da nossa passagem relâmpago pela Secretaria de Turismo (Emenda parlamentar no valor de R$50mil) em 2005.
Sistema de tráfego não existe, assim como área destinada a estacionamento permitido para vans e ônibus.
O setor indicado como histórico ainda não recebeu seu devido tratamento, e ninguém sabe onde começa e termina, pois não há nenhuma referencia e sinalização.
Motoristas e transeuntes, vivem perguntando aos moradores, por onde andar e como chegar ou sair da cidade. Ou simplesmente onde fica um determinado atrativo turístico.

Descaso com a informação
O mínimo que um cidadão deve ter acesso é a informação sobre sua cidade, nome de rua, monumentos históricos, pontos turístico...Bairros, saídas para rodovias...Etc. Quando a cidade é bem sinalizada, facilita seu próprio morador a conhece-la melhor. E melhora a acessibilidade ao visitante, que lentamente vai conhecendo o lugar.
Hoje não temos sequer um Posto de Informações Turísticas de plantão, principalmente nos finais de semana. Ao menos não há nenhuma placa que o indique.
O que a gente ouve sempre, é que não tem dinheiro!


Cadê a placa?
Pra piorar ainda mais, nos desajustes festivos da cidade -quando fecham ruas para celebrar algum evento, muitas vezes retiram “provisoriamente” placas de sinalização e elas como em um passe de mágica...Desaparecem. Caso ocorrido em agosto do ano passado, quando uma placa aérea foi desnecessariamente retirada, para instalação de barracas na Festa da Padroeira, em plena Mestre Adriano (foto ilustrada). Até o momento o poste continua solitário a espera de sua função.
O desaparecimento de materiais e equipamentos do pátio e depósito da prefeitura é fato comum, pois não se espante, se por negligencia e esperteza, esta tal placa – que deverá estar custando aproximadamente R$6mil – se transforme em cobertura de garage e seja comercializada por alguém. Isso já aconteceu em épocas não longínquas, com a então estrutura metálica do mercado municipal. Sumiu!
Cadê a placa daqui?

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Antonina - Velhos carnavais...Memória Fotográfica

Imagens inéditas...
Escola de Samba do Batel 1977
Escola de Samba Filhos da Capela - Zeco Pinto...1981
Boneco - Camilo Staniscia - 1982
Destaque Nhá Gabriela - ES Portinho 1988
Carnavalesco Afonso-1992
Amor de carnaval - 1994
Destaque 1994

Interessados em adquirir copias das imagens, solicitar por e-mail: eduardobo1951@gmail.com
Copiar e utilizar sem autorização do autor é crime. Direitos Autorais reservados.
veja mais fotos: http://fotografiaeduardonascimento.blogspot.com.br/2015/01/carnavais-de-antonina.html

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Faltando apenas...

Arquivo pessoal/o bloguista fotógrafo e o Rei.
Um mês para o Carnaval, Antonina que sempre apresentou um dos melhores do estado, ainda não disse - o poder público, como será a festa deste ano.
As dúvidas são das mais diversas: haverá verba para as Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos? A avenida terá decoração, iluminação e sonorização a contento? Qual o recurso disponível para a “gastança”? Qual é a previsão de visitantes para que o comércio possa se programar para os dias de momo? Haverá ÁGUA? Acontecerá apagão elétrico por parte da Copel se chover e trovejar? Teremos palco e trio-elétrico? A cidade será sinalizada e haverá áreas de estacionamento disponível para os foliões?
Muitas destas questões poderiam ter respostas se no mínimo tivessem acontecido reuniões antecipadas com os interessados no evento. Reuniões de responsabilidade da Secretaria de Cultura e Turismo do município, que sequer conta com um Conselho de Cultura e Turismo, órgão que deveria ajudar, sugerir e realizar avanços.
Como por aqui nada se discute e fica tudo a cargo do senhor prefeito. Nada é construído com sabedoria e participação. Assim sendo, deveremos presenciar mais uma das desorganizadas e desencontradas ações da prefeitura.
Com a palavra a Secretaria de Cultura e Turismo Municipal...Mas sem ofensas pessoais.

E viva o carnaval de Antonina...De Verdade!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

ANTONINA DE VERDADE

No início de cada ano, parte da comunidade procura celebrar e planejar as expectativas e projeções para o novo ano. Nossos desejos nem sempre dependem unicamente das nossas ações, mas muito podemos realizar com independência, capacidade e planejamento.
Como vivemos em um planeta minúsculo chamado de cidade, também tentamos projetar alguma coisa, tendo nosso mundinho como base.
Com certeza não sou pessimista, pois durante minha caminhada, quando pedras encontrei, soube aproveita-las para pavimentar a rua da minha vida. Hoje aposentado, me dou ao luxo de cultuar a pequena sombra da previdência, que plantei nos meus 40 anos de muito trabalho. Mas continuo produzindo, apenas com o compromisso do prazer e do viver.

Mundinho
Não perco a oportunidade de dar meus pitacos sobre os desígnios do meu planeta Antonina. São mais de três décadas que tento “escrevinhar” nos mais diversos meios de informação da cidade. E até publicando alguns “inúteis” livretos, testemunhos da minha apaixonada, submissa e implicante maneira com que gostaria de contemplar minha cidade. Mas sequer meus “singelos berros” são percebidos pelos tapados e entupidos órgãos auriculares dos governantes.

Primeiro tempo
Todo novo governo tem o primeiro semestre do seu primeiro ano de mandato, como balizador de suas intenções, visto que, coloca sua equipe em ação e logo a comunidade começa a perceber se acertou ou não, na escolha dos dirigentes para o mandato de quatro anos. Se nada de novo foi alçado, o governo ainda terá mais um ano (segundo ano) para acertar e mostrar as tais esperadas melhorias, prometidas durante o período eleitoral.
Caso em dois anos, a visibilidade prevalece nas demandas pessoais e do seu grupo e a comunidade sequer perceba melhorias nos serviços essenciais, como saúde, educação, tratamento de água, saneamento básico e limpeza pública (capino, calçadas, sinalização, águas pluviais, valetas...). Nem é preciso contratar uma empresa especializada em pesquisa para sentir a opinião da população e a decepção do seu eleitorado.

Cassação Já!
A maioria sem dúvida alguma, não acredita mais nesta administração e até chegou a ponto de apoiar a cassação do atual prefeito, frente a denuncias de irregularidades administrativas, encaminhadas a Câmara Municipal de Antonina, para verificação.
O processo parou, os legisladores “pisaram no tomate”, mas poderá ser reapresentado pela nova mesa diretora, criando uma CEI.

Contagem regressiva
Já é patente a péssima gestão da atual administração João Domero, que além da sua natureza em ser o maior prefeito que a cidade teve, também garantiu com antecedência o de pior mandatário.
Sua total falta de visão administrativa, (nem poderia ser diferente, sempre confirmou que não tinha experiência, nem conhecimento, nem compromisso, nem patrimônio e nem paciência) aliada aos mais cruéis de todos os males (arrogância, prepotência, intolerância, e ostentação), ainda desrespeita a “massa cinzenta” da população, quando insiste em nomear amigos e pessoas sem as mínimas condições profissionais, para ocupação de cargos vitais para a administração pública. Os cargos são distribuídos somente para garantir melhores salários aos amigos.

O que resta é o primeiro semestre de 2015, onde poderá tentar solucionar o problema do Hospital Municipal, que vem se arrastando há anos, de promessas em promessas politiqueiras, enquanto se paga aluguel por um prédio sucateado, sem as mínimas condições necessárias de um bom atendimento.
Também precisa resolver o problema do SAMAE, que inicialmente é de caráter administrativo e de viabilidade técnica financeira. Depois, melhorar a limpeza e conservação da cidade. Para não continuarmos vivendo em um lugar com cara de abandono. Pensar mais é delírio.
No segundo semestre o assunto será sucessão. Pois ano que vem, teremos eleições municipais e os interessados no pleito estarão se filiando a partidos e grupos políticos. Ou seja, começou a contagem regressiva para o término desta parca administração, que realmente demonstra a verdadeira Antonina que vivemos. Mas não era esta que o eleitorado esperava e nem é esta que queremos. Faltam 723 dias para acabar este desmando.

E tenho dito!

domingo, 4 de janeiro de 2015

ANO NOVO...ESPERANÇAS RENOVADAS. Vale a pena ler de novo?

Publicado em 07 de janeiro de 2004  no Blog e no livro “Crônicas da Capela”, 2006.
 ANO NOVO...ESPERANÇAS RENOVADAS.

2004 inicia com perspectivas de melhorias. Após alguns ajustes  que se fizeram necessários, o governo federal nos sinaliza com possíveis avanços sociais e o tão esperado espetáculo do crescimento, para que possa cumprir as promessas de campanha, que o povo brasileiro tanto apostou. Também será o ano da renovação política nos municípios. Partidos e candidatos se confundem na tentativa de conquistar o voto e a confiança dos seus eleitorados. Uns se maquiam para conseguir a reeleição, outros usam de todos os artifícios para convencer o eleitorado e conquistar o seu primeiro mandato. Muitos se despedem deixando um mar de decepções, com administrações desastrosas e corruptas, onde a prioridade sempre foi a engorda de suas contas bancárias, em detrimento a melhoria da qualidade de vida da população. Muitos já vão tarde.


Por aqui também vivemos estes momentos. Após as festas natalinas, final de ano, férias...As especulações na cidade geram em torno do ano eleitoral. Quais são os candidatos? Quem são eles? De que partido? Quem será o candidato da prefeita? São as perguntas que estão no ar.  O Kleber Fonseca é a única pré-candidatura que deverá ser confirmada, pois trabalha desde há muito, para sustentar este objetivo. As outras prováveis pré-candidaturas em sua maioria não passam de meras especulações, para possíveis negociações futuras. O PPS, que é um  dos partidos mais organizados da cidade, joga com três nomes : Rubico, Juarez e Maneco Gomes, mas todos deverão passar por uma peneira, onde novos ingredientes serão atribuídos para formar a poção mágica da provável candidatura. Interesses pessoais, coligações, apoios políticos, financeiros e outros acertos estão em jogo. O PT - partido que hoje está no governo – passa por um momento delicado e tenta, apesar das divergências internas, sua unificação e seu fortalecimento na cidade,  para em seguida discutir candidaturas ou coligação. O grupo político da situação - liderado pela prefeita - parece não se preocupar muito com o próximo pleito, pois a candidatura que almejava, do ex-deputado Santos Filho não decolou  devido aos incidentes que envolve o seu filho. Mas o deputado estadual Marcos Isfer deverá intervir e solicitar a prefeita seu apoio (discretamente) a candidatura do PPS, que deverá ser concretizada após uma boa e vantajosa negociação. Celso Vieira aparece tangenciando, pois na falta do patrão candidato, deve ocupar o espaço. Davi Cruz, presidente da Apae também aparece pelo PSB.

Eis aqui um pequeno diagnóstico do nosso momento político, mas como política e nuvens se combinam muito, uma hora está de um jeito e na outra muda, tudo poderá ser modificado e vários outros quadros poderemos apreciar até as datas das convenções.

O que menos presenciamos é uma discussão sobre os problemas da cidade, que pudessem gerar programas de governo e candidaturas verdadeiramente legítimas, que representassem de fato os anseios da nossa comunidade, e enfim, se eleitos, a realização de um novo momento de reconstrução do nosso sistema de produção econômica e social. Muitas são as candidaturas, uma malucas, outras intempestivas, inviáveis e até prováveis. São os efeitos da democracia em seu momento de renovação.